26/06/2009

Crianças não mentem

Percebo que em muitas situações, o Oficial de Justiça não é visto com bons olhos. Algumas pessoas ficam com medo, arredias, outras se omitem muitas vezes não tendo nada a esconder e só o fato de um Oficial de Justiça bater na porta de sua casa, já imaginam o pior.


E nessas ocasiões, as crianças são nossas grandes aliadas e cada vez acredito mais no velho ditado onde criança não mente.


Tive um caso de uma citação numa cobrança onde a destinatária já sabia da existência da ação e estava se escondendo. Eu estive na casa dela por duas vezes e, apesar de perceber que havia um menino na residência que aparecia na janela, ninguém me atendia.


Na última tentativa, estava o tal menino na frente da casa, de aproximadamente oito, nove anos de idade, eu perguntei:


- “Sabe se a fulana de tal está em casa?”


E ele – vendo que não tinha saída - respondeu:


- “Moço é o seguinte: minha irmã estava nas outras vezes, mas mandava dizer que não estava. E ela trabalha na “Empresa Tal” e ela vai estar lá na parte da tarde, mas também pediu pra não te contar porque ela não quer que vc ache onde ela está. E não diz que eu te disse, tá? É que minha avó disse que a gente nunca pode mentir".

Bingo! Ganhou uma bala, claro!

Quando eu fui procurá-la (e encontrei!) ela me perguntou:

- Como me achou aqui?

E eu, discretamente, disse:

- Um senhor me informou na sua casa.

Ponto para mim!


Contos em fotos:



Estava indo para Palhoça e de repente, na marginal da BR visualizei um motoqueiro carregando algo estranho. Ao me aproximar, percebi que ele carregava um colchão na moto, na maior tranquilidade. Se a moda do "disque-colchão" pega, o trânsito ficará pior do que já está.