20/01/2010

Brincando de lojinha


Nas idas e vindas pela comunidade Frei Damião, encontrei algumas placas e dizeres um tanto diferentes, interessantes e, principalmente, divertidos.

E como todo brasileiro - que não desiste nunca - tudo é válido quando se trata de trabalho para conseguir seu sustento.

Encontra-se de tudo!

Na mercearia tem "langeri":

Também tem "Rót Dóg" na porta de casa:




Tem até "pé-dicure"!


Mas, caso não queiram o "Rót Dóg" acima, tem o "X BURGUE DUPLO", "X HEGUE", "MIS KUENTE" ou então, caso prefiram, "CACHORRO KUENTE". Tem para todos os gostos!




Mas, brincadeiras à parte, ontem flagrei umas crianças na frente de uma casa. Fizeram umas mesinhas com blocos de concreto, penduraram umas roupas na cerca e colocaram alguns objetos em exposição.

Hoje passei e estavam lá novamente, com os mesmos objetos: sapatos velhos, um aparelho de telefone, canetas usadas e roupas na cerca. Parei e perguntei o que eles estavam fazendo:

- "Estamos brincando de lojinha, mas se o tio quiser comprar de verdade, pode ser, porque daí a gente pode comprar nosso material escolar".

Fiquei bem agoniado com isso, pensando o tempo todo em como fazer alguma coisa.

Sei que tem gente que deve estar pensando que eu não posso sempre abraçar o mundo. Tá certo, eu não posso. Mas, mais de um pode dar início à este abraço, com certeza!


Por conta disso, tive uma idéia - pequena - mas válida. Vou tentar relacionar as famílias mais necessitadas que possuem crianças na escola. Pedirei ajuda para fazer esta relação às igrejas do bairro e ir aleatoriamente em algumas ruas sem esquecer as crianças da "lojinha".

Assim sendo, quem quiser me ajudar a comprar material escolar, pode me mandar um e-mail pois assim que eu tiver todas as informações necessárias, eu informo.