27/08/2010

Futebol sem bola

Esta semana foi de grandes novidades. Conheci novas pessoas e revi antigos amigos e por falar neles, meu amigo Cauã está de aniversário no próximo domingo, completando nove anos.
.
Para quem não sabe, é aquele menino do Frei Damião que "trocou" figurinhas comigo para comprar o presente de Dia das Mães à sua mãe e foi, juntamente com sua família, almoçar com a minha naquele domingo tão especial.
.
Conversando com ele, queria "de presente" visitar o shopping da cidade, Via Catarina e assim fomos. Seus pais, Jorge e Juliana (que aniversariou ontem, quinta-feira) também foram. Conversamos bastante sobre minha nova região, sobre o Cauã e pela grande amizade que nasceu entre nós. Passeamos pelas lojas, viu o cinema - onde ficou a promessa de irmos no próximo final de semana - ficou fascinado com o elevador panorâmico e com as escadas rolantes.
.
Momentos simples para mim, porém, bem marcantes para ele. Esse realmente foi o melhor presente.
.
.
Outra novidade nesta semana foi quando fui tomar café na Padaria Mãe Maria - a minha favorita - desde que fazia a região do Frei Damião. Enquanto estava conversando com a proprietária (e amiga!), entrou um senhor chamado Jorge e conversou com ela sobre a necessidade de ajuda para um grupo de crianças que faz aula de futebol no bairro.
.
Ela o explicou sobre meu trabalho como Oficial de Justiça e das atividades beneficentes e percebi que, certamente, haveria um porquê de eu estar ali naquele momento. Nada é por acaso.
.
O nome dele é Jorge Coelho, tem 65 anos, foi um dos primeiros moradores do bairro e ensina futebol para 40 crianças, sendo 15 meninas. Ele faz isso desde 1995, sem ajuda alguma do poder público. Nas segundas (para as meninas), terças e quintas (para os meninos) das 18h30min às 19h45min. Aliás, que não estuda, não joga.
.
Ficamos conversando e ele me convidou para visitar as crianças no campo, mas atualmente não estavam treinando porque não tinham bola. Estava esperando a resposta de um comerciante da região que ficou de conseguir uma pra ele mas como essa resposta já estava sendo esperada fazia uma semana, me prontifiquei a levar uma bola hoje. E assim foi feito, às 18h30min eu estava lá. Bola oficial, nova e foi inaugurada. A maior festa. A criançada feliz da vida e empolgada.
.
.
.
.
As crianças usam coletes doados por uma empresa que diferem os times. Já estão surrados, mais do que usados e por conta disso, juntamente com o Sr. Jorge, tive a idéia de, assim como a campanha do material escolar, da Páscoa, do inverno, fazer uma campanha para conseguir camisetas para as crianças da "escolinha de futebol Monte Castelo".
.
Portanto, quem quiser ajudar, com indicações de empresas para patrocínio, malharias, serigrafias ou algo do tipo, podem entrar em contato comigo. Independente disso, farei orçamentos - assim como fiz com os materiais escolares - porque tem os que ajudam financeiramente e sabem do resultado positivo que todas essas campanhas possuem.
.
O ideal é que, o primeiro jogo com as camisetas novas, seja prestigiado por aqueles que ajudaram, para que as crianças se sintam valorizadas e empolgadas com um futuro brilhante pela frente.
.
E uma coisa é sempre certa: um pequeno detalhe pode fazer sempre uma grande diferença.