18/10/2010

Um olhar sobre o Haiti

Vou utilizar deste nosso blog - ferramenta que tem ajudado tantas pessoas - para transcrever o texto do Frei Jean, que é uma história emocionante sobre a situação do Haiti, que nos faz pensar na valorização que temos em nossas vidas.

Frei Jean é estudante de Filosofia na Unisul Virtual, trabalha como voluntário na Associação Vida Nueva que acolhe gente de rua com sede no Bairro Enseada de Brito em Palhoça; lugar onde eu tive o privilégio de conhecer. Ele veio do Haiti juntamente com Júnior para uma experiência missionária na nova Fraternidade Diocesana de Espiritualidade Franciscana que tem sede na Itália.



Vale a pena a leitura e doações e/ou sugestões de como ajudar, seguem ao final, os contatos do Frei Jean.
"Um olhar sobre o Haiti:

Falando do Haiti, a belas Antilhas, terra alta e montanhosa como a primeira nação negra independente do mundo, hoje é triste dar um olhar sobre essa terra querida. Apesar de tudo, eu, o haitiano nativo sente orgulho de expressar desse território, lindo e agradável pela temperatura. Após de mais de 200 anos de independência quando os escravos expulsaram os piratas franceses nos constatamos que Haiti nunca cresce e nada de progresso. Esse país se tornou um centro para todos que precisam, entram e fazem o que desejam. A influência dos outros países poderosos, a fome, a miséria se torna cada dia um centro de guerra civil. Podemos dizer, por exemplo, que é como uma madeira acendida em duas pontas que não tem como segurar. Cada dia o pais se torna mais pobre e a miséria aumenta.


No Haiti a vida é dura e é necessário muita luta pra sobreviver. Quem tem um pouco de estudo não consegue viver como um ser humano deveria viver. Já pensou os analfabetos? O povo haitiano vive através da agricultura e se a terra não produz, a miséria aumenta mais. Podemos constatar que, algumas famílias conseguem se alimentar duas vezes por dia, mas tem família que não conseguem nem uma refeição. Contatamos no campo, um pouco retirado da cidade, é incrível falar da vida dessas pessoas. Não levam uma vida humana.


Sinto-me triste quando estou pensando nessa situação. Pra ir à escola tem que cruzar quilômetros a pé, porque a condição financeira não sustenta a renda da família. Apesar de tanta luta, a miséria impera, existe um grande sonho dentro cada um de ser uma pessoa diferente e realizar um objetivo na vida.



O Haiti, após o terremoto, milhares de famílias não tem onde morar, o povo vive na rua, pedindo esmola, sofre pela falta de água. As crianças morrem na rua causa da fome. Questionamos-nos se o povo haitiano e sua população, por acaso, não são seres humanos que foram criados a imagem do nosso Criador? Atualmente existem famílias que estão passando dias sem alimentar-se, os vizinhos não compartilham um pedaço de pão com elas.


Pensando sobre tudo isso, fica uma tristeza enorme no meu coração. As vezes, sinto medo de receber noticias do Haiti, porque sempre é tristeza e sofrimento. A vida atualmente é difícil e tudo é caro. Não tem emprego e o povo vive de maneira informal, vende mercadorias na rua para poder sobreviver. No Haiti quem vive um pouco melhor são as pessoas que fazem parte do governo, do caso contrário, não possuem vida digna.


Apelo: Eu sei que o Brasil tem suas necessidades e problemas, mas de coração estou solicitando a ajuda de todos os brasileiros, de uma forma e outra. A vida do ser humano é um dom, e cada um, de nacionalidade que seja, somos criados a viver como seres humanos e com dignidade.


O que mais me preocupa no Haiti é a vida das crianças, pensem comigo, o mínimo aqui é muito no Haiti. Por esse motivo, junto com estas crianças estamos pedindo sua ajuda pra fazer sorrir um dia essas belas criaturas de Deus, as crianças.


Nos atualmente, os estudantes, os alunos, professores , amigos e as autoridades somos as vozes das crianças, é a vida das crianças que está em jogo e precisam sua ajuda. Mesmo que não temos nada para oferecer, nosso conhecimento pode criar caminhos e projetos que seja um ponto de partida para ver em que medida podemos salvar uma vida, uma criança, fazer uma família sorrir, tirar uma família da rua. Pra mim, fazer um haitiano sorrir é um grande motivo de crescimento.


Como disse Jesus: “Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizerdes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes”. (Mt 25,40).


Olhando o sofrimento do povo surgiu a idéia do projeto “FOYER D´ACCUEIL”. É uma associação sem fins lucrativos com sede em Bérault, 2° seção comunal de Torbeck – Haiti trabalha com às famílias desfavorecidas. O objetivo principal é, sobretudo, permitir que as crianças tenham acesso aos serviços básicos de educação, saúde e nutrição. Melhorar as condições de vida das crianças nesse território, contribuir para a redução da delinqüência juvenil, desenvolver estratégias para dar as mulheres a sua autonomia financeira.


Faça sua doação, por pequena que seja, vale a pena para poder melhorar a vida desses haitianos. Se cada um de nos dispõe 5, 10, 15 reais etc... todo mês. Isso será um grande avanço na vida de nossas crianças haitianas. Todas as crianças têm o mesmo direito, não importa a nacionalidade, de viver como um ser humano. Vocês, os pais, sentem que seus corações estão rasgando-se quando seus filhos estão chorando. Imagina uma criança no colo da mãe chorando pela comida e a mãe nem sabe o que fazer? Não sabe em que porta bater. Quantas vezes nós nos alimentamos e jogamos o resto no lixo? Bebemos e jogamos o resto no chão ou lixo?


Aqui no Brasil, um morador de rua tem possibilidade de encontrar comida no lixo, claro, ao nosso ver, isso é desagradável. No Haiti, se as crianças encontrarem comida no lixo seria a melhor alimentação do dia. Por isso, hoje a gente está solicitando sua ajuda para poder fazer esse projeto crescer ainda mais."


FAÇA SUA DOAÇÃO:
EMAIL:
jeanvulner@hotmail.com TEL: (48) 8437-1176


Por gentileza, aos leitores que conheçam grandes empresas que gostam de ajudar neste sentido, repassem os contatos do Frei Jean porque isso também não custa nada.